Porto Alegre, segunda-feira, 16 de outubro de 2017
   

Deputado Raul Carrion - PCdoB-RS

Os Fios de Ariadne

APRESENTAÇÃO
Um outro pequeno passo

Em novembro de 1995, sob o império da maré neoliberal triunfante que varreu o mundo, um grupo de professores e estudiosos gaúchos criou o Grupo de Estudos Marxistas - CEM - para acolher aqueles que acreditavam ser o marxismo um instrumento indispensável à compreensão da vida social, na luta por uma sociedade onde o homem seja amigo do próprio homem.

Como forma de funcionamento, optou-se pela apresentação, quinzenal, por convidados ou membros do grupo, de texto de investigação, em desenvolvimento, ou comunicação sobre questões atinentes às mais diversas esferas sociais.

Distribuídos com antecedência, os documentos eram discutidos pelo público presente, em geral após a crítica de um debatedor. Alguns debates e reuniões celebrativas a efemérides atinentes ao mundo do trabalho foram igualmente realizados.

Com o crescimento do número dos associados, o GEM trans­formou-se cm Centro de Estudo Marxistas e, finalmente, em 1997, lançou o livro Luz. e sombras: ensaios de interpretação marxista, em co-edição com a Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

O livro - que teve excelente acolhida de público - apresentou dezessete textos, debatidos nos anos anteriores, abordando questões referentes à arquitetura, direito, economia, história, linguística, sociologia, etc.

Nesses últimos momentos de 1999, a conjuntura nacional e internacional mostra-se significativamente distinta da de quatro anos atrás, quando da fundação do GEM, num momento em que a razão social, o racionalismo e o marxismo eram vilipendiados e abominados. Apesar do limite de suas propostas e práticas, a vitória dos partidos socialistas, sociais democratas, trabalhistas, etc. na Alemanha, França, Inglaterra e Itália expressa a erosão da retórica neoliberal. No Brasil, a eleição da Frente Popular gaúcha registrou inegavelmente essa realidade.

Apesar de seu caráter ainda claramente adverso ao mundo do trabalho, a nova situação permite já uma mais fácil expressão cultural, científica e ideológica dos que procuram interpretar a história e a realidade social desde a ótica dos oprimidos.

Porém, o pensamento único, o quietismo e o pacifismo intelectuais dominam ainda no mundo multiforme das ideias. Sob diversas matrizes, a razão conservadora mantém sua hegemonia, apoiando-se na força dos interesses poderosos que defende.

Fios de Ariadne: ensaios de interpretação marxista reúne os textos postos à discussão de 1997 a fins de 1998. Muitos dos autores aqui presentes encontravam-se já na publicação anterior; alguns outros estreiam neste segundo volume.

Não espere o leitor encontrar no livro unidade temática ou teórica. Desde a origem, os debates do CEM primaram pela multidisciplinaridade e pela profunda e democrática diversidade teórica. Os textos publicados correspondem à visão pessoal dos autores, que possuem origens políticas e posições metodológicas diversas.

Finalmente, a coordenação do CEM e seus membros registram seus sinceros agradecimentos à Comissão Editorial da Universidade de Passo Fundo, que, baseada no inalienável princípio académico da liberdade de expressão e da recusa à censura ideológica, acolheu, sem restrições de qualquer tipo, o presente volume, permitindo sua publicação e, portanto, sua avaliação pelo público leitor.

Centro de Estudos Marxistas - CEM/RS

CENTRO DE ESTUDOS MARXISTAS. Fios de Ariadne: ensaios de interpretação marxista. Passo Fundo: Centro de Estudos Marxistas / UPF Editora, 1999. 476 p.

Editora Universitária - UPF
Campus I, BR 285 – Km 171 - Bairro São José
CEP: 99001-970  - Passo Fundo - RS - Brasil

Centro de Estudos Marxistas/RS
Caixa postal 10675 – Agência Central
CEP: 90001-970 – Porto Alegre / RS

 


TOPO